segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Meu (Futuro) Jardim Inglês


Ainda estou tentando montar o meu jardim, desde que a nossa reforma terminou. Infelizmente o progresso não foi muito grande esta semana, por causa da chuva.

Nesses dois anos que moramos nesta casa (quase três!), a jardinagem é minha terapia. E agora, tendo a oportunidade de refazer a área externa, resolvi pesquisar as minhas opções e decidi projetar um jardim inglês, que encaixa perfeitamente com as minhas necessidades e a minha personalidade.


Explico: ele é o oposto dos jardins franceses e italianos, com seus desenhos simétricos e estrutura mais rígida. O jardim inglês tem uma aparência mais natural, com grandes maciços de plantas e linhas curvas.


É permitida a mistura de vários tipos de flores, folhagens, arbustos e até ervas, desde que sejam plantas de pouca manutenção. Estes foram pontos essenciais para mim: o jardim se mantém praticamente sozinho e me oferece a liberdade de acrescentar plantas novas com o tempo, coisa que era impossível no meu paisagismo anterior. O jardim inglês pareceu a escolha lógica para mim.


A sensação deve ser de uma paisagem natural, com pouca ou nenhuma intervenção humana. E é aí que está a ironia: estou tendo muito trabalho para planejar o jardim de modo que pareça não-planejado. Uma displicência organizada, digamos assim.


Comprei algumas plantas novas mas, como eu já tinha um jardim montado, estou tentando aproveitar ao máximo o que já estava aqui também. A lista é grande, com ciprestes, arbustos, ervas variadas e flores: lavanda, bela-emília, rosas (6 ou 7 variedades, de híbridas a trepadeiras), jasmim, hortênsia, agapanto e muitas outras.


O delphinium (ou delfino) é marca registrada do jardim inglês, mas infelizmente não posso incluir aqui porque é muito tóxico. Nada recomendado para casas com crianças ou animais, exatamente o meu caso. Por isso vale dizer que estou eliminando algumas espécies e tentando fazer a substituição por outras equivalentes, e que portanto a minha lista não está presa somente às plantas tradicionalmente usadas.


Um dia a minha glicínia vai estar grande o bastante para cobrir o pergolado que construímos, e esta semana devemos comprar um banco com estrutura de ferro (as coisas andam devagar, mas andam!). Penso em comprar alguma peça parecida com esta abaixo:


Sobre aquela base de ferro fundido para a mesa, não lembro se dei mais informações depois que eles chegaram: vieram sem pintura, mas contratamos uma empresa e as peças ficaram lindas. Sexta-feira encomendamos o tampo em madeira de demolição, mas o prazo de entrega é de longuíssimos 30 dias. Se chegar tudo em ordem, prometo não reclamar.


Depois de todo este processo, pelo menos, meu trabalho vai ser bem menor. Aliás, o tempo trabalha a favor do jardim inglês: ele fica mais bonito quando as plantas estão bem crescidas, de preferência avançando no espaço umas das outras, sem a menor necessidade de perfeição.

Outra vantagem é que ele é indicado para qualquer terreno, acidentado ou não - muito democrático! Recomendo para quem tem um jardim, mas que gostaria de aproveitar o espaço sem a obrigação de uma manutenção infinita. Mas atenção: não confunda a informalidade do jardim com falta de cuidado!

6 comentários:

  1. www.viagensdemartina.blogspot.com17 de outubro de 2011 15:37

    Tbém adoro os jardins ingleses! Jardinagem é um dos esportes favoritos na Inglaterra!mesmo com muito frio eles conseguem ter os gramados mais verdes que já ví na vida!bjs.

    ResponderExcluir
  2. Olá Debora!
    Amo os jardins ingleses,especialmente por parecerem tão naturais!!!!O jasmin estrela é uma trepadeira que vai ficar lindo no seu jardim,alem de ter um perfume delicioso!
    Bjossss

    ResponderExcluir
  3. Lindos! Super inspiradores. Também penso em um jardim assim, florido, que parece desencanado. Seu post já está nos favoritos para quando eu for fazer o meu! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Querida,
    Vou fazer um post hoje sobre uma das minhas autoras inglesas preferida: Rosamunde Pilcher!!! Seu post veio de encontro a idéia do meu, pois o que mais me atrai na literatura de Rosamunde é justamente a descrição que ela faz das casas, personagens, paisagens e...jardins! Em todos os livros dela, quase, a jardinagem é sempre a paixao de algum dos personagens. E acho que você é a minha personagem real de Rosamunde...Beijos afetuosos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Débora! Eu adoro jardins ingleses. É a minha cara, pois é uma bagunça organizada. Aqui em casa, vamos plantando flores em qualquer cantinho, no estilo sempre cabe mais uma. Realmente, a manutenção é difícil, pois é preciso estar de olho sempre: matinhos, formigas, crescimento exagerado... Mas vale a pena todo esse trabalho para ter flores por perto!
    Qdo veremos fotos do seu jardim?
    Bjs.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails